Instituição:

Em 2005, quando chegamos em Santos com a produtora de cinema Gullane para filmar o longa-metragem Querô, não imaginávamos que as oficinas de preparação do elenco jovem realizadas em áreas de alto risco social fossem se transformar em um movimento cultural afirmativo nas proporções que tomou.
Existia na época, como existe até hoje, um bombardeio da mídia transformando todo jovem de baixa renda em um potencial “elemento perigoso”. O filme, como todo processo de preparação, deveria seguir o caminho contrário: lançar um olhar mais humano e solidário sobre esses jovens.
Terminado o filme, o potencial – dessa vez de liderança e aprendizado – levou-nos a uma nova experiência: reunir jovens interessados em produzir seus próprios filmes. O UNICEF apoiou a iniciativa e deu-se início, assim, ao projeto social Oficinas Querô – atualmente conhecido como Instituto Querô.
A ideia é que, através do acesso à produção de um curta-metragem, eles desenvolvam habilidades não só técnicas mas também humanas, com um olhar questionador atento para o mundo em que vivem. Olhar que se transformará em um empreendimento audiovisual e em uma história a ser contada.
As Oficinas Querô oferecem atividades de formação em produção audiovisual amparadas por um programa pedagógico que estimula a ação empreendedora e os valores da cidadania. São atividades multidisciplinares todos os dias da semana, durante um ano, em diversos espaços da cidade envolvendo criação, produção, exibição, informática, expressão, gestão, passeios culturais, entre outros.

Representante nas Oficinas Galpão

Diego Albuquerque da Cunha Silva

terça-feira, novembro 16th, 2010

No terceiro ano do ensino médio, com aspirações para a faculdade de Direito, Diego é o mais jovem integrante do grupo de selecionados das Oficinas Galpão. Ele participou de uma das […]