Selecionados

Ítalo Rosário de Freitas (31 anos)

Instituição:

Ítalo é tecnólogo formado em Vídeo, Fotografia e Design. Participou da iniciação científica oferecida pela Casa Brasil, onde atualmente trabalha como professor para novas turmas. Ele dá aula também em outras ONGs.
Já trabalhou em duas produções audiovisuais: “Sociedade Vulcano” (2005), no qual fez produção e maquiagem, e “E Aí Irmão?” (2004).   
“Fazer este filme é a materialização de um sonho pra mim”, conta Ítalo, que ficou sabendo do Projeto Oficinas Galpão através de um amigo. Ele foi contemplado também no edital “Templo Gláuber”, pelo qual está participando de oficinas audiovisuais. Esse projeto, no entanto, não oferece recursos para realização do vídeo.

.

Frolicking and games of speed and skill midst the trees and buildings of the http://www.pro-essay-writer.com park, and plays high.
História

A Orientação Sexual nos Trilhos do Subúrbio ( )

O Subúrbio Ferroviário de Salvador é formado por pessoas de um conjunto de bairros caracterizado como de baixa renda, majoritariamente negros, trabalhadores do mercado informal.  Esta região vem sofrendo ao longo de décadas com o abandono do poder público. Lá, os LGBTs vivenciam situações comuns de exclusão em seu cotidiano. Entretanto os LGBTs que residem em bairros de classe média recebem um tratamento diferente, já que seu poder aquisitivo permite o acesso à informação, ao mercado de trabalho mais qualificado, a bens e serviços. Esse aspecto diferencia a realidade de exclusão vivenciada pelos LGBTs que residem no Subúrbio Ferroviário dos demais.
A ideia do roteiro surgiu durante debates em movimentos de articulação das políticas públicas LGBT. Ítalo nasceu e mora no subúrbio ferroviário de Salvador. Ele conta que não se tem acesso ao cotidiano dos LGBTs da periferia. “Ninguém sabe o dia-a-dia do transexual pobre. O índice de escolaridade é baixo e a evasão escolar é alta. Eles não têm acesso à assistência básica de saúde. São excluídos, em grande parte, de suas próprias famílias e acabam caindo na prostituição.

Depoimento

"O projeto Oficinas Galpão está sendo muito bacana. São muitas discussões positivas, com ideias surgindo. Estou abrindo a minha cabeça para novas possibilidades. Espero que meu documentário ‘bombe’! Vou inscrevê-lo em diversos festivais. Estou muito feliz de poder realizá-lo."